Blog

NAUTICAMPO

No passado dia 16 de fevereiro, o Crescer pelo Mar foi à Nauticampo – o maior e mais prestigiado evento de atividades outdoor realizado em Portugal. Para além da mostra de produtos, a Nauticampo conta também com um espaço de interatividade, de experimentação e debate de ideias das várias atividades e modalidades presentes.

Neste sentido, o projeto Crescer pelo Mar foi divulgado no evento, no decorrer das Nautitalks. Acreditamos que se tratou de um marco muito importante no percurso do projeto, ao ter levado o tema a um palco nacional, mas com grande visibilidade. Durante a apresentação do projeto, tanto um formador do projeto como dois formandos, tiveram a oportunidade de dar o seu parecer sobre o contributo de iniciativas desta índole.

Para além da palestra dada, os formandos do projeto puderam presenciar e explorar toda a feira, realizando um exercício de análise das bancas de empresas marítimo-turísticas: de que parte do país vinham e quais eram os produtos/experiências que ofereciam. Tal serviu para os formandos ficarem a conhecer melhor o que existe de norte a sul de Portugal, no âmbito das empresas marítimo-turísticas, bem como para estabelecer futuros contactos profissionais.

Mais aventuras chegam nas próximas ondas, até já!


NA CRISTA DA ONDA

Na passada quarta-feira, dia 3 de fevereiro, os formandos do projeto Crescer pelo Mar iniciaram uma nova fase da sua formação, com a modalidade de surf. Acolhidos pela AMAR Surfing Academia, estes jovens vão percorrer um caminho de várias sessões, envolvendo o surf, o bodyboard e o stand up paddle – as modalidades de “deslize”.

Nesta primeira sessão os formandos ficaram a conhecer mais sobre a história do surf, tanto a nível nacional como internacional, na formação teórica que tiveram, com o instrutor Rafael Isidro, como também o básico da modalidade – plano de sessão, receção ao cliente, materiais e equipamentos, aquecimento e a prática em si.

Todos foram para o mar com a sua prancha de surf e o seu fato neoprene, com boa disposição e vontade de aprender. Após cerca de duas horas no mar, os jovens regressaram cansados mas motivados para as próximas sessões, e com vontade de dominarem melhor a prancha e os elementos.

O desafio é ficarem em pé e surfarem a onda com técnica e estilo!


Crescer pelo Mar – a arte de comunicar

Os alunos do projeto Crescer pelo Mar, no contexto da formação para se tornarem técnicos marítimo-turísticos, fizeram uma análise às bancas das empresas marítimo-turísticas sediadas em Faro. Uma particularidade que saltou à vista foi a seguinte: é tão importante ser-se um bom técnico marítimo-turístico como um bom vendedor do produto nas bancas. Mas, em ambas as funções, existe algo de muito importante em comum:  a arte da comunicação. 

Por um lado, a comunicação para se vender um produto, o porquê daquele produto e de aquela empresa ser melhor que a concorrência; por outro, a comunicação informativa de transmitir conhecimento, de passar contos, história, saberes da fauna e flora da região e de conseguir cativar o cliente para o mesmo mergulhar no património natural da Ria Formosa.

Desta forma, a capacidade de comunicação com o público é um dos pilares na formação que os jovens do projeto estão a receber.  Nesse âmbito iremos iniciar a ação de formação “Marketing e Comunicação” já em Janeiro próximo.


Formação Técnico MT em barco solar

Na ação de formação do dia 2 de dezembro os formandos do projeto Crescer pelo Mar puderam interagir com o skipper e guia intérprete de um barco solar que realiza passeios turísticos na Ria Formosa.  Esta formação teve como propósito apresentar uma das vertentes dos passeios marítimo-turísticos, e de realizar o enquadramento da fauna e da flora circundantes. 

No mundo dos operadores marítimo-turísticos, onde a concorrência é feroz, torna-se importante marcar pela diferença e pela qualidade do produto oferecido – algumas das qualidades ressaltadas pelo skipper da embarcação. Quando se trata de um produto mais específico, como um passeio dedicado apenas ao birdwatching, é fundamental que o skipper possua esse conhecimento, ou que se faça acompanhar de um guia/biólogo que realize o respetivo enquadramento. 

Para além do conhecimento científico e local, é fundamental rever novamente as questões de segurança e de comunicação com os clientes – outras áreas-chave no sucesso de uma atividade turística, sendo que clientes seguros e esclarecidos, são clientes que dão reviews positivas nas plataformas digitais e recomendam o produto turístico. 

Assim se realizou mais uma formação bem-sucedida, com o objetivo de tornar estes jovens cada vez competentes nesta área profissional – técnico de atividades marítimo-turísticas.


Fim de semana em Mértola

No passado fim-de-semana de 27 a 28 de novembro de 2021, decorreu a primeira formação com pernoita, para os alunos do projeto Crescer pelo Mar. A turma do 3º ano do curso de Técnico de Segurança e Salvamento em Meio Aquático, da Escola Secundária Pinheiro e Rosa teve a oportunidade de receber formação na área dos desportos náuticos aplicados ao mercado turístico. 

O dia de sábado iniciou-se com uma formação de kayak e stand up paddle, onde foram revistos conteúdos mais técnicos, relacionados com a modalidade e com a realização da atividade propriamente dita, como de pormenores que um técnico marítimo-turístico deve ter em atenção: como receber os clientes, como abordar os temas, qual a sua postura e como agir em caso de acidente/emergência. No período da tarde realizou-se um passeio cultural até ao castelo de Mértola. 

No domingo a turma participou num passeio de barco com contextualização ambiental e cultural, de forma a que os jovens percebessem que o conhecimento local é um dos ingredientes chave para se ser um técnico mais completo. Para além do passeio de barco, foram realizadas atividades de team building, para pôr à prova a perícia, o conhecimento e a capacidade de trabalho em equipa do grupo. 

Um fim-de-semana em grande, com muitas aprendizagens para os nossos jovens. Seguimos para o próximo dia de atividades de vento em popa!  


O que é um técnico de atividades marítimo-turísticas?

A palavra thalassophile deriva do grego “thalassa”, que significa mar, e do “phile”, uma pessoa que tem uma paixão muito grande por um objeto/tema específico, ou seja, um thalassophile é um amante do mar. Os jovens que participam no projeto Crescer pelo Mar adjetivam-se desta forma: são amantes do mar e encontram-se no caminho para se tornarem técnicos marítimo-turísticos. 

Algumas das características que um técnico marítimo-turístico deve possuir são as seguintes:

  • Conhecimento de navegação;
  • Conhecimento local: cultura, fauna, flora, curiosidades;
  • Conhecimento a nível de procedimentos de segurança e salvamento aquático e de suporte básico de vida;
  • Capacidade para gerir grupos e conflitos; 
  • Capacidade de se adaptar aos contratempos e de improvisar;
  • Domínio de um ou mais idiomas estrangeiros (inglês obrigatório).

Grau de diferenciação e Inovação

Guiado por uma teoria da aprendizagem pela experiência (Experiencial Learning), o presente programa é pioneiro ao propor a integração da experiência subjetiva no processo de aprendizagem formal, reconhecendo que os fatores ambientais e emocionais específicos destes grupos de jovens, com características singulares, podem interferir no processo de aprendizagem. Assim, o envolvimento dos jovens é feito através de um cuidado balanço entre aprendizagens formais e tempos úteis de empenhamento motor, dado que apenas desta forma é possível consolidar a autonomia pedagógica, num equilíbrio constante entre zonas de conforto individuais e de aprendizagem efetiva.

As competências necessárias para vingar num mercado de trabalho cada vez mais competitivo e volátil não se esgotam, contudo, ao nível técnico, sendo cada vez mais urgente o treino de competências sociais e outras “soft skills” supreendentemente debilitadas com a entrada na era digital. Estas fragilidades educativas dos jovens na sociedade atual, estão naturalmente acentuadas em grupos de risco, cujas dinâmicas sociais desfavorecidas funcionam como elementos catalizadores das ameaças. Ao instigar os jovens a desenvolver competências pessoais que, apesar de não técnicas, também podem ser determinantes para a sua integração no mercado de trabalho, estamos a oferecer todos os elementos para que possam ter um percurso pessoal mais completo, onde se sintam motivados e capazes para exercer a sua cidadania de forma ativa e consciente do ponto de vista social e ambiental. 

JUSTIFICAÇÃO INTERESSE COLECTIVO DA OPERAÇÃO

O projeto Crescer pelo Mar constitui um elemento de valorização do mar enquanto recurso do território e, ao constituir-se como laboratório de treino e rampa de lançamento de uma nova metodologia formativa, contribui de forma decisiva para o futuro da educação e da formação de jovens na região, sobretudo de jovens provenientes de populações particulares. Com o grande objetivo de Afirmar o Mar como Elemento de Excelência para Programas de Aprendizagem e Desenvolvimento Pessoal, através da oferta de formação e treino náutico a jovens, este projeto enquadra-se nos objetivos e resultados indicados no Aviso nº 2 / 2019 / Gal Sotavento Algarve. Adereçando diretamente o objetivo estratégico “Promover a empregabilidade da população do território de intervenção”, enquadrado na tipologia de operações ‘Qualificação escolar e profissional relacionada com o meio aquático’’ prevista no ponto 3 do mesmo Aviso. O projeto aborda ainda o domínio da ‘Promoção de Planos de Mar’ ao contribuir para o objetivo estratégico da EDL “Sustentabilidade e valorização do património natural e cultural da ria Formosa e do Guadiana algarvio”. 


Formação náutica é feita no mar.

O projeto Crescer pelo Mar tem 796 horas de formação e cerca de 80% da carga horária é feita em ambiente prático. Sabemos da importância que o método experimental tem na capacitação de jovens e em particular na importância que a formação prática na área do mar.

Das 446 horas da Ação de Formação TÉCNICO MARÍTIMO TURÍSTICO, apenas 51 horas são de componente teórica, sendo que as restantes 395 horas são feitas no mar.


Módulo de Powerboat decorre a bom ritmo

O módulo de Powerboat já decorre na praia de Faro. As sessões práticas tanto esperadas estão a decorrer durante o mês de Maio e o formador responsável Fábio Buchinho estava bastante entusiasmado após a primeira sessão prática.

“A praia de Faro tem condições naturais extraordinárias para o ensino da náutica de recreio. Optámos por iniciar com as questões de segurança, homem ao mar e regras para evitar abalroamentos no mar porque os valores que queremos transmitir a estes jovens são assentes numa utilização responsável e respeitadora do meio em que estamos enquadrados.”